Pular a navegação e ir direto para o conteúdo

Tecnologia Achix
Busca
Busca Avançada
Entrar | Não é cadastrado?
Você está em: Início » Jornal iTEIA » Abertura une gerações em Serra Talhada e marca a força cultural do Sertão

Jornal iTEIA

25.11.2015 - 15h20

Abertura une gerações em Serra Talhada e marca a força cultural do Sertão

Da Assessoria

ampliar Alejandro Garcia - Assessoria Serra Talhada
Gerações unidas pela Cultura

Serra Talhada, no Sertão pernambucano, já respira arte, diversidade e cultura no 9º Encontro das Culturas Populares e Tradicionais, aberto oficialmente na noite dessa terça-feira (24). O município dá o exemplo de que, mesmo em meio às dificuldades, as raízes artísticas do povo sertanejo sempre estarão em movimento, demonstrando força e disposição para vencer a inanição e o preconceito cultural. A noite dessa terça não só encantou o público, que conferiu de pertinho toda a riqueza dos grupos e artistas que se apresentaram num grande encontro de gerações, como ficará marcada na história do município como um marco no fortalecimento da política cultural em Pernambuco, no Nordeste e no país.

Após a passagem de um belo cortejo de maracatus, bumba meu boi e caboclinhos pelo pátio de eventos da Estação do Forró, foi a vez dos realizadores e parceiros do projeto prestarem homenagens ao Sertão e dá boas vindas ao 9º Encontro das Culturas Populares e Tradicionais. Do palco, todos destacaram a pujança cultural que a região possui. “A história que guarda essa região é uma história muito importante para a constituição da cultura do Brasil, e não foi por outro motivo que o Ministério da Cultura apostou nessa ideia e apoiou a iniciativa desse encontro e hoje está celebrando um dos momentos mais bonitos que vamos viver em 2015 que é o reencontro do Brasil consigo mesmo”, destacou o diretor de Políticas Culturais do Minc, Pedro Vasconcelos.

“Serra Talhada é uma cidade hoje exemplo de dignidade, que constrói riquezas e exemplo para todo o país. E que apesar das condições adversas de clima e da história, se mostrou valente e cangaceira demonstrando força e energia para superar tudo isso. Serra Talhada hoje é um exemplo para o país”, frisou Chico Simões, da Rede de Culturas Populares. Na opinião de Cristiane Ramires, coordenadora do Conselho Nacional de Política Cultural, a chegada do 9º Encontro ao Sertão brasileiro é fruto do desejo de compartilhar a diversidade e riqueza cultural do país. “O que nos motiva é podermos compartilhar desses momentos com todo o Brasil, o que é extrema responsabilidade. Por isso agradeço a coragem também de todos participantes, das pessoas que estão nos bastidores e de todas as instituições artísticas aqui representadas”, lembrou.

Para Ivana Bentes, da Secretaria de Cidadania e Diversidade Cultural do Minc, os sertanejos tem a capacidade de criar cultura mesmo em meio às dificuldades. “Essa capacidade é impressionante, de das dificuldades criar estéticas e linguagens. É a capacidade de transformar o mais hostil em riqueza”, parabenizou. O secretário municipal de Cultura, Anildomá de Souza, ressaltou o apoio que a pasta tem recebido do governo do prefeito Luciano Duque (PT). “É o prefeito que mais investiu em cultura na história de Serra Talhada, porque a gente está resgatando a Serra Talhada oculta, jamais nos passou pela cabeça que tínhamos comunidades quilombolas e essa gestão redesenhou isso. E tudo estava escondido. E vamos avançar ainda mais, porque a cultura entrou na pauta do dia a dia da nossa cidade e esse encontro foi uma conquista belíssima para a gente”, exaltou.

Na visão de Karl Marx, da Fundação Cabras de Lampião, o encontro é a celebração de mais de 40 anos de militância cultural de um grupo de realizadores sertanejos. “E hoje a gente celebra essa oportunidade de sediar um evento que acontece pela primeira vez no Nordeste após uma disputa muito dura. A gente hoje celebra isso, após um intenso trabalho em rede. Hoje todos nós estamos celebrando essa construção da nova política cultura do Brasil”.


ENCONTRO DE GERAÇÕES

Um dos pontos altos da noite de abertura do 9º Encontro das Culturas Populares foi marcada pelo encontro de gerações, em que o amor pela cultura cria laços afetivos entre a experiência e a juventude vencendo a ação do tempo. E tudo deságua para a perpetuação dos laços tradicionais das artes populares. Esse é o sentimento vivido atualmente pelo Mestre João Paulo, 60, líder do Maracatu de baque solto Leão Misterioso, de Nazaré da Mata, que dividiu o pátio de eventos ao lado de Evelly Karina, de apenas 8 anos. “Essa brincadeira tomou conta do meu coração há 31 anos e eu não quero mais largar, principalmente, porque tenho a missão de orientar as crianças e os mais jovens que estão chegando”, disse o mestre, olhando para a pequena Evelly, que dança no maracatu há três anos.

Também dividem a mesma paixão e o mesmo fôlego o mestre Nelson, que tem mais de 40 anos de brincadeira de caboclinho e está à frente do Caboclinho Sete Flechas de Goiana desde 1991, orientando os jovens como a pequena Emly  Souza, de apenas 4 anos. “É importante ajudar e estimular essas gerações porque senão a nossa cultura morre”, ensinou mestre Nelson, cheio de satisfação. O mesmo cenário se repete na cultura do bumba meu boi, tendo como protagonistas José Ricardo Barboza, 45 anos, e o jovem Anderson de Lima, de 13. Compartilhando do mesmo sentimento que une gerações de artistas, eles dançaram no pátio de eventos da Estação do Forró em Serra Talhada na apresentação do Boi Cara Branca, de Limoeiro. “Eu gosto demais dessa brincadeira e estou aprendendo com os mais velhos”, reforçou o garoto, montando numa ‘burrinha’ seguindo o mesmo ‘galope’ de José Ricardo, que faz o papel do capitão no folguedo.

Outro exemplo de que a cultura se imortaliza na passagem do aprendizado foi dado pela rainha do maracatu de baque virado Estrela Brilhante, Marivalda Maria dos Santos, 62 anos,  tetra campeã do Carnaval do Recife. “Estou há 20 anos nesse maracatu e não canso de  brincar. Vejo muita gente nova tomando gosto por essa brincadeira e isso me motiva mais porque a gente sente a vontade de ensiná-los”, comentou Marivalda, que é presidente do Estrela Brilhante. Fechando a noite, o Palco Lampião, na Estação do Forró, recebeu as energias do Coco Raízes de Arcoverde e do grupo autóctone, Cabras de Lampião, que é fruto do repasse cultural das gerações passadas e da ousadia pela manutenção da estética do cangaço junto aos jovens. A noite fechou coroada pela riqueza musical de Josildo Sá.

Por Giovanni Sá Filho

Veja a beleza dessa noite na Galeria de Imagens do IXECPT

p { margin-bottom: 0.25cm; line-height: 120%; }a:link { }


- Josildo Sá, Coco
Raízes de Arcoverde, e Boi Cara Branca (Sandro Barros / Cobertura
Colaborativa)


http://www.iteia.org.br/imagens/josildo-sa-coco-raizes-de-arcoverde-e-boi-cara-branca


 


- Cortejo de
Abertura IXECPT – (Alejando Garcia / Assessoria Serra Talhada)


http://www.iteia.org.br/imagens/cortejo-de-abertura-ixecpt-2411


 


- Abertura Oficial
IXECPT – (Alejandro Garcia / Assessoria Serra Talhada)


http://www.iteia.org.br/imagens/abertura-oficial-ixecpt


 


- Xaxado Cabras de
Lampião - Noite de Abertura IXECPT - (Alejandro Garcia / Assessoria
Serra Talhada)


http://www.iteia.org.br/imagens/xaxado-cabras-de-lampiao-noite-de-abertura-ixecpt-2411


 


- Coco Raizes de
Arco Verde - Abertura IXECPT - (Alejandro Garcia / Assessoria Serra
Talhada)


http://www.iteia.org.br/imagens/coco-raizes-de-arco-verde-abertura-ixecpt-2411


 


- Josildo Sá -
Noite de Abertura IXECPT - (Alejandro Garcia / Assessoria Serra
Talhada)


http://www.iteia.org.br/imagens/josildo-sa-noite-de-abertura-ixecpt-2411


 

Este conteúdo tem 0 Comentários

Neste espaço não serão permitidos comentários que contenham palavras de baixo calão, publicidade, calúnia, injúria, difamação ou qualquer conduta que possa ser considerada criminosa. A equipe do portal iTEIA reserva-se no direito de apagar as mensagens.

Deixe um comentário








Parceiros
Cooperação
Integração
Realização
Patrocínio

Ir para o topo